Episódio 001

“Corre, corre cabacinha – Alice Vieira”

A Bola Saltitona

Era uma vez uma velha que ia pela floresta ao baptizado do seu neto.
De repente apareceu um lobo que a queria comer.
A velhinha pediu que não a comesse agora porque ia a uma festa e quando viesse já estaria mais gorda.
O lobo deixou-a ir embora.
A velhinha encontrou um senhor que vendia bolas e decidiu convidá-lo para ser o padrinho do seu neto.
Depois o senhor deu à velhinha uma bola especial que saltava muito alto.
Então, a velhinha foi aos pulinhos pela floresta até que apareceu o lobo.
A velhinha deu com a bola na cabeça do lobo e deu um salto gigantesco até a sua casa.
O salto foi tão grande que foi cair pela chaminé da sua casa.
Ela ficou tão contente que começou a cantar:

Pula, pula bolinha
Pula sem parar.
Aqui dentro de casa,
Ninguém me pode apanhar!

Texto colectivo | Imagem: Ana Sofia

Eb1 de Outiz (Tarde), 2º e 3º Ano

 

* * * * * * * * * * * * * * *

 

Sobe, sobe balãozinho

No meio de uma floresta, vivia uma velhinha, muito sozinha. A velhinha, tinha filhos e muitos netos.
De vez em quando recebia a notícia que ia ser avó de novo.
Sempre que nascia um neto a velhinha passava um mês em frente do fogão a fazer pão-de-ló, coscorões, arroz doce e papas de farinha com mel.
Certa vez apareceu um filho para a convidar, para o baptizado de mais um neto, mas desta vez tinha de escolher o padrinho.
O baptizado seria numa aldeia próxima e no fim do mês.
No caminho encontrou um lobo muito grande, que se aproximou dela e perguntou:
- Onde vais tu velhinha?
- Vou ao baptizado do meu netinho.
O lobo, chegando-se mais à velha disse-lhe:
- Não vais não velha, porque vou comer-te!
- Ah!!! Sr. Lobo não me coma agora – disse a velha – que eu, quando voltar venho mais gorda.
O lobo pensou bem e deixou-a ir.
A caminho do baptizado a velhinha encontrou um caçador. Ele reparou que ela estava muito assustada e perguntou:
- Porquê tanta preocupação?!
- Porque encontrei um lobo pelo caminho que me quer comer, depois do baptizado do meu netinho.
No baptizado, a velhinha comeu, bebeu e divertiu-se. Parecia até ter esquecido a sua preocupação.
Na hora da partida o caçador, que também foi ao baptizado, disse à velhinha o que estava a pensar fazer.
A velha agradeceu o almoço ao filho, despediu-se e partiu com o caçador.
Quando chegaram ao sítio onde o lobo a esperava, o caçador deu-lhe balões.
A velhinha meteu-se nos balões e nesse momento …passou uma pomba e levou-os.
Ao chegar a casa da velhinha a pomba deixou cair os balões, conseguiu enganar o lobo e chegar sã e salva.
Ainda hoje, o lobo continua no meio da floresta à espera que a velhinha passe mais gordinha, para o seu almoço.

Texto colectivo | Imagem: Pedro

EB1 de Alvelos, Barcelos (4º Ano)

**************

 

Corre corre cabacinha

Era uma vez uma velhinha que tinha muitos filhos e muitos netos. Ela fazia iguarias deliciosas.
Um dia o filho mais velho foi convidá-la para o baptizado que era no fim do mês e pediu que ela fizesse pão-de-ló, arroz doce, papas de farinha com mel.
Ela passou trinta dias e trinta noites a preparar as suas iguarias até que chegou o dia. Ela pegou na cesta e foi para a aldeia, passando por caminhos, atalhos e clareiras.
O filho disse-lhe que não tinha padrinho para o filho que ela tinha que arranjar, a velha ficou aflita.
Ao ir para a aldeia, um lobo saltou-lhe ao caminho.
- Velha, velhinha quero comer-te.
- Deixa-me ir, virei mais gordinha.
O lobo pensou uma, duas e três vezes e disse:
- Está bem, mas que seja antes do Sol esconder-se atrás das montanhas.
A velha assustada e a tremer, nem viu o vendedor de máscaras.
- Ó velhinha, porque vais tão aflita?!
- Não tenho padrinho para o baptizado do meu neto e apareceu-me um lobo.
A velhinha contou tudo o que tinha acontecido.
Foram os dois para o baptizado e na festa divertiram-se.
A velhinha na festa perguntava como iria escapar ao lobo.
O vendedor de máscaras, disfarçou-a de lobo.
No caminho apareceu de novo o lobo e perguntou-lhe:
- Ó irmão lobo não viste uma velhinha pelo caminho?
- Não, senão tinha-a comido.
O lobo apareceu mais abaixo numa clareira e perguntou de novo:
- Olha, ela deveria estar gordinha?
- Não, não vi.
O lobo como estava cheio de fome resolveu comer o outro lobo e saltou-lhe para cima. Mas a velhinha conseguiu escapar deixando o fato pelo caminho e entrou em casa a correr.
Tempos mais tarde a velhinha contou aos seus filhos o que tinha acontecido e ria muito.

Aluno do 4º ano – EB1 de Varziela – Pereira

******************

Corre corre pipo

Era uma vez uma velha que fazia arroz doce, pão-de-ló e papas de farinha com mel.
Um dia o filho da velha disse:
- Faz arroz doce, pão-de-ló e papas de farinha com mel para o baptizado do teu neto.
No dia do baptizado, ela lá foi. De repente apareceu um lobo que a queria comer.
A velha, assustada disse:
- Come-me no fim da festa, eu estarei mais gordinha.
Então, a velha continuou o caminho e encontrou um vendedor de pipos.
O vendedor disse-lhe:
- Não tenhas medo, vamos descobrir uma maneira de te salvar.
No fim do baptizado a velha meteu-se dentro de um pipo e saiu a rolar pela floresta.
Quando o lobo apareceu, perguntou:
- Não viste uma velha por ai, ó pipo?
O pipo respondeu:
- Não.
Então o lobo correu um pouco e apareceu de novo e voltou a perguntar:
-Não viste por ai uma velha?
- Não vi velha, não.
Quando chegou perto de casa, o lobo viu que era a velha. Mas a velha correu para casa, trancou a porta e bailou.

Texto: Vânia | Imagem: Rui

EB1 de Varziela – Pereira (4º ano)

***************

Comentar