Actividades na categoria ‘Expressão Oral’

Leitura em vai e vem

Descrição da Actividade -

No âmbito da nossa adesão ao Plano Nacional de Leitura, decidimos este ano dar continuidade ao Projecto da “Leitura vai e vem”, cujo objectivo nuclear é prolongar os momentos de leitura junto das famílias.
O projecto consiste em que cada uma das crianças escolha livremente um livro da nossa biblioteca e o leve para casa.
Estabelecidas as regras, cada aluno sabe que poderá desfrutar do livro durante dois dias. Esta medida tem naturalmente como finalidade fazer chegar a leitura a casa de um maior número de alunos, após o que, o livro deverá regressar ao Jardim-de-Infância e cada aluno reconta a história contada pelos pais.

Ora, os resultados têm sido surpreendentes, quer ao nível de motivação para a leitura, de interacção com a língua numa perspectiva lúdica, quer ao nível de aquisição de novos palavras, bem como do estímulo da memorização. Com efeito, a surpresa não se restringe a estes níveis.
Atendendo a que as situações de descoberta e de aprendizagem têm sido por demais evidentes, achámos por bem tirar partido dos recursos da Web, no sentido de realizar a gravação do reconto da história e simultaneamente dar visibilidade no nosso espaço, ao resultado das interacções entre pais e filhos.

Cremos que, ao recorrermos ao registo áudio, estamos garantidamente a tornar os alunos mais críticos, reflexivos e, por sua vez, facultar ao Educador ferramentas que possibilitem uma análise mais cuidada da evolução do trajecto individual de cada criança.
Para o efeito, e no meio de uma infinidade de ferramentas ao dispor de qualquer utilizador de forma gratuita, optámos por utilizar o Odeo , pois possibilita que o podcast possa ser disponibilizado em qualquer sítio Web.
Antes porém, recorremos ao Audacity para gravar o reconto, porque este programa  permite articular a voz com a música e simultaneamente uma melhor qualidade ao nível do som.
Ouçam o reconto de algumas das histórias destes corajosos pequenos leitores:

“O Cuquedo”, por Inês Maria (5 anos)

“O Ruca e a Chuva”, por André (5 anos)

Recursos

Odeo, Audacity

Conteúdos da língua portuguesa

Compreensão oral e escrita;  enriquecimento vocabular;

Competências digitais:

Literacia digital;  utilização do computador como uma ferramenta de gravação áudio; interacção com programas de edição.


O Odeo Studio é uma ferramenta de gravação de áudio que funciona no nosso browser. Depois de gravar o registo áudio, podemos partilhar o ficheiro com os nossos contactos Odeo e/ou envia-lo por e-mail. Podemos também colocá-lo num canal para ser ouvido. O Odeo é de utilização completamente grátis.

1 Comment


Peddy-Paper literário mediado por telemóvel

Descrição da actividade - Aproveitando o lançamento dos serviços TAG (OPTIMUS) e MOCHE (TMN), propus aos alunos a criação de um Peddy-Paper literário sobre Fernando Pessoa. Esta actividade tinha como objectivos: a) explorar as potencialidades do uso do telemóvel enquanto recurso e estratégia pedagógica; b) promover experiências inovadoras de aprendizagem individual e colaborativa de um conteúdo curricular; c) fomentar o sentido social da aprendizagem.
A actividade desenvolveu-se em 2 etapas. Na primeira etapa, procedeu-se ao envolvimento individual dos alunos através de pesquisas na Internet, sobre o assunto em estudo, seguindo um guião. Na segunda etapa, procedeu-se à divisão da turma em grupos de dois ou três elementos, para preparação do material necessário ao Peddy-Paper: provérbios, questionários, perguntas de escolha múltipla, regulamento, cartões de identificação e o desenho do Peddy-Paper. Para este trabalho os alunos usaram diversas ferramentas: Google Docs para escrever colaborativamente perguntas de escolha múltipla; Publisher para criar os cartões de identificação; Powerpoint para produzir o cartaz de divulgação da actividade; Word para fazer o regulamento e o desenho do Peddy-Paper. Posteriormente, tratou-se de toda a logística necessária (envelopes, postos de controlo, materiais para as provas físicas, equipa de reportagem, formação de equipas, etc). O texto final do Peddy-Paper ficou organizado em torno de: provérbios populares, conteúdos curriculares e provas físicas.
Read the rest of this entry »

No Comments


A cor do meu sorriso

Quando nos referimos à língua portuguesa, poderão questionar, se em idade pré-escolar já se lê ou se escreve. É um facto que nas idades compreendidas entre os 3 e os 5 anos o ensino-aprendizagem da língua portuguesa também já acontece de forma intencional e sistematizada, que se poderia caracterizar como uma aprendizagem formal da língua.

Descrição da actividade:
No início da minha participação no projecto MiLP, apresento uma actividade com recurso Showbeyond, uma aplicação da Web 2.0.

O desafio consistia em que cada criança desenhasse a cor do seu sorriso. Para isso, individualmente, foi dado uma folha de papel, um pincel e a opção por tintas de variadas cores. A seguir, e no decorrer da pintura, cada um justificava oralmente a razão pelas cores com que coloria o seu sorriso.

Após terminarem as pinturas, o grupo das crianças mais velhas procedeu à digitalização dos desenhos e acompanhou todo o processo de publicação na plataforma dajaneladomeujardim.

Como forma de demonstrar as potencialidades dos recursos digitais ao serviço da cor, explorámos no photobucket várias hipóteses de redefinir as tonalidades originais do desenho seleccionado por todos.

O Showbeyond revela excelentes potencialidades para a exploração da linguagem escrita e oral, pela possibilidade que nos dá de conjugar texto com imagem. Poderemos ainda fazer uso desta ferramenta para contar histórias, articulando textos, imagens e ainda sons. Sem dúvida  uma mais-valia para a emergência da literacia neste contexto específico do ensino Pré-escolar.

Recursos
Photobucket; Showbeyond .

Conteúdos da língua portuguesa
Relações entre o código oral e escrito; oralidade; escrita.

Competências digitais
Literacia digital, web 2.0.

1 Comment


iDicionário (dicionário personalizado)

Descrição da actividade – Desde o início do ano lectivo que estamos a desenvolver um Dicionário Personalizado e continuará até final do ano. Trata-se de ir escrevendo no telemóvel palavras novas e os respectivos significados. Em cada aula, a professora ou os alunos apresentam 3 ou 4 vocábulos difíceis e respectivos sinónimos. Cada aluno vai registando através do bloco notas do seu telemóvel só as palavras que constituem para ele novidade. Deste modo, o dicionário é individual e personalizado, indo de encontro às necessidades de enriquecimento vocabular de cada aluno.
Esta actividade decorre do sentimento que temos de que a maioria dos alunos apresenta sérias dificuldades em encontrar os vocábulos certos para expressar o pensamento, quer quando se expressa oralmente, quer quando recorre à expressão escrita. A falta de conhecimento alargado do léxico da língua dificulta também a compreensão e interpretação de todo o tipo de textos. Assim, esta actividade tem três propósitos: a) adquirir e aprofundar competências lexicais; b) sensibilizar para o uso correcto da língua materna (mimar a língua); c) falar e escrever melhor.
Com esta actividade pretendemos também que o aluno tenha um dicionário sempre à mão e possa recorrer a ele quando e onde quiser (o telemóvel anda sempre no bolso).
Para desafiar os alunos a manterem um contacto permanente com o dicionário realizamos exercícios de escolha múltipla sobre sinonímia no Mobile Study e enviámo-los, de seguida, por SMS para o telemóvel dos alunos.
Neste link pode-se descarregar um dos exercícios através de um telemóvel, aqui pode-se realizar o quiz na Web.
Recursos - Telemóvel, Mobile Study
Conteúdos da língua portuguesa – Enriquecimento lexical, aprendizagem da língua, construção de dicionário personalizado.
Competências digitais – Literacia digital e técnica, Mobile Learning.
Imagens

1 Comment


A minha descrição

Adoptar uma personalidade virtual pode ser uma maneira motivadora de desenvolver as habilidades orais dos estudantes de português língua não materna. Pode-se atingir uma grande variedade de actividades, desde a simple leitura até dramatizações de textos próprios ou alheios. Por exemplo, imaginemos que estamos perante uma actividade de descrição de personagens onde trabalhamos a diferência entre os verbos ser e estar, o uso dos adjectivos, o vocabulário das partes do corpo.

Precisaremos de uma aplicação como Voki , que dispõe de uma grande variedade de personagens (pessoas, animais, objectos, etc.) entre as quais escolher a figura virtual que nos represente. Este processo resulta, aliás, muito divertido para os estudantes seja qual for a sua idade e o seu nível de língua: decidir qual vai ser a sua apariência (cabelo, olhos, nariz, roupa, voz, etc.) pode ser uma boa excusa para trabalhar o vocabulário das partes do corpo e do vestuário.

Uma vez feito todo este processo, temos três possibilidades:

  1. Escrever o texto (previamente produzido pelo aluno e corrigido pelo professor), que será lido por um robot com voz de homem ou mulher (com sotaque português ou brasileiro).
  2. Gravar o texto com a própria voz na aplicação. Para isso é preciso contar com microfone.
  3. Gravar o texto com uma gravadora ou com um programa como o Audacity.

No primeiro e segundo caso, não permite textos muito compridos, pelo que aconselhamos usar a terceira opção, e já agora conhecer um programa de software livre como o Audacity, muito fácil de se usar e que permite tratar e melhorar os textos.

Uma vez realizado o proceso completo, e só publicar, copiar o código “embed” e pôr os distintos “avatares” na página ou no blogue da escola.

Recursos: Voki, Audacity.

Conteúdos da Língua portuguesa: descrição, vocabulário do corpo e das roupas, usos de ser/estar, os adjectivos…

Competencias digitais: Conhecimento e utilização dos sistemas de voz na Internet.

1 Comment


Telefone na aula

Descrição da actividade – Uma actividade que pode ter interesse, sobretudo nalguns módulos do ensino profissional, é a simulação de chamadas telefónicas. Para isso, pode ser utilizado uma das várias ferramentas disponíveis de conversação da Internet. A mais conhecida é o Skype; pessoalmente, prefiro o Voipcheap. A utilização na aula vai permitir fazer correcções ao nível da oralidade e do registo. Para além disso, os alunos ficam a conhecer, se ainda não utilizavam, formas de comunicar mais baratas, o que poderá constituir até uma mais valia na altura que cheguem a uma empresa e dêem essa sugestão.

Sugiro, ainda, a audição de um programa da TSF, Dicionário da Rádio, concretamente o “episódio” Quando o Telefone Toca. Tem interesse sobretudo a partir dos 2′40”, onde apresenta dois episódios hilariantes que aconteceram no telefone da rádio, mas que acontecem na utilização pessoal do telefone/telemóvel.

RecursosVoipcheap, Skype, TSF
Conteúdos da língua portuguesa – oralidade, registo de língua, escuta.
Competências digitais – Conhecimento e utilização dos sistemas de voz na Internet; utilização do arquivo de programas da TSF.

No Comments


Quem conta um conto acrescenta um ponto!

Descrição da actividade – Mais uma actividade para a Oficina de Escrita. Desta vez propusemos aos alunos que ouvissem os contos no Podcast (ficheiros áudio) da professora Contos Populares Portugueses e escolhessem um dos contos. A partir desse conto deveriam recriar outro, actualizando-o aos tempos e tecnologias do momento.
Esta actividade tinha dois objectivos: a) estudar o conto tradicional; b) promover actividades de escrita criativa.
Os textos foram primeiro escritos no Docs (processador de texto on-line), onde a professora acompanhou o processo de escrita de cada um dos escritos dos alunos. Depois dos textos concluídos foram enviados directamente do Docs para o blogue da turma Palavras. Após a publicação todos os alunos deveriam ler os textos uns dos outros e deixar um comentário apreciativo de cada um dos textos.
Todos os alunos se empenharam nesta actividade e mesmo os alunos que não gostavam de escrever ou raramente escreviam produziram textos engraçados, revelando uma faceta criativa até então desconhecida.
RecursosBlogue, Docs
Conteúdos da língua portuguesa – estudo do Conto Popular, Oficina de Escrita, escrita criativa.
Competências digitais – Blogue, Docs (Wiki), literacia digital

Imagens

1 Comment


Reler, num instantinho!

Descrição da actividade – O objectivo desta actividade é complementar o reconto oral de um breve romance cuja primeira leitura deveria ser feita pelos alunos em casa. Todos os alunos deverão ter em sua posse o volume (neste caso, “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá” de Jorge Amado, do programa do 8º ano de escolaridade); pelo menos um livro por par de aluno deverá existir. Solicita-se o reconto oral da obra que pode ir sendo complementado por vários alunos. Quando o professor e a turma se sentirem satisfeitos com o reconto, o professor apresenta um breve filme realizado com recurso a imagens e pequenos excertos (frases) nucleares da acção da obra lida. Define-se um período de tempo e depois de uma primeira visualização completa, o filme é visto imagem a imagem e, no período de tempo definido (por exemplo 2m, cada par de alunos deve folhear a obra realizando uma brevíssima leitura diagonal e identificar o excertos apresentados no filme, indicando página e parágrafo. Ganha o grupo de alunos que mais excertos identificar no espaço de tempo mais curto.

As ferramentas aqui usadas podem e devem depois ser “transferidas” para os alunos para a produção de outras sínteses ou para o trabalho sobre outras tipologias textuais (por exemplo, a notícia).

O site Livro Clip do Brasil tem aproveitado as potencialidade de aliar filme/imagem a literatura e oferece propostas bem interessantes. Convido a visualizar a síntese de Os Lusíadas que costumo mostrar aos meus alunos como forma de motivação.

Aproveito a oportunidade para destacar, também o jogo “Ler é preciso” do mesmo site.

RecursosWindows Movie Maker / Photo Story e, para posterior apresentação, Google Vídeo.
Conteúdos da língua portuguesa – Compreensão escrita.
Competências digitais – Literacia digital.

O Gato Malhado - síntese

No Comments


imagens e palavras

Uma das técnicas que uso para iniciar as crianças na leitura e escrita, usando o método analítico-sintético (letra->sílaba->palavra) é o contar de histórias.

Para cada fonema/grafema e para cada caso de leitura existe uma história ou uma canção que procura reunir o máximo de palavras iniciadas ou compostas pela(s) letra(s) em questão. É um “jogo” interessante que ao fim de algumas vezes consegue fazer com que os alunos ao fim de alguns parágrafos ou versos já adivinhem a letra ou o caso de leitura que estão a aprender.

Como forma de apoio a estas actividades, sempre que se conta a história vou colando no quadro uma série de imagens impressas e em trabalho grande que lhes permite aumentar o vocabulário, memorizar as palavras e até a história.

Depois de contada a história ou a música é só olhar para o quadro e rever as palavras apresentadas. Em alguns casos também escrevo a forma manuscrita da palavra por baixo de cada imagem para partir para uma exploração global (palavra->sílaba->letra).

Em turmas mais avançadas, as imagens podem ser usadas como forma de complementar exercícios no quadro como em ditados mudos ou em composições a partir de “sopas de imagens”.

Para criar as imagens basta aceder a uma boa base de dados de imagens (de preferência coloridas, ao estilo cartoon) e inseri-las num documento. Basta 2 imagens por página para estas serem visíveis no fundo da sala. A impressão deverá ser feita em folhas de papel grosso para permitir a reutilização das imagens pelos alunos e pelo professor.

Exemplos:

imagens-para-o-fonema-m

No Comments


Contos “pouco” tradicionais

Descrição da actividade – Este é um recurso de motivação, adequado ao início da unidade didáctica de estudo do conto de autor (8ºano) e realizando uma ponte com o estudo do conto tradicional no 7º ano. É uma actividade muito simples, de motivação para a leitura e estudo através de registos áudio e vídeo e que aproveita recursos acessíveis na net.

Trata-se de fazer os alunos relembrar os contos tradicionais e de fadas escutados na infância e, através de um brainstorming, detectar-lhes paralelismos, similitudes, simbolismos. Cada aluno escolhe um conto, procurando explicar porquê e toma nota do caderno para uma actividade-mistério posterior.

Em seguida, os alunos são convidados a escutar e ver os registos que foram preservados num blogue (Na biblogteca) e a discutir os usos que foram feitos das histórias tradicionais.

A leitura orientada do conto - neste caso “História da Gata Borralheira” de Sophia de Mello Breyner Andresen decorre de forma mais tradicional com o estudo das categorias da narrativa, interpretação, sistematização de estruturas linguísticas, discussão do aproveitamento da história da “cinderela”…

Mas…. no final…. a actividade-mistério: produção de escrita criativa com a produção de um “Conto POUCO tradicional” em que os alunos são convidados a desmontar o conto inicialmente escolhido. E pronto, é vê-los escrever e escrever, criando capuchinhos-vermelhos cibernéticos, três porquinhos dreads, etc, etc.

Os trabalhos podem depois ser divulgados usando o mesmo espaço online e sob forma escrita ou oral usando ferramentas já referidas (Issuu, Voicethread,…).

NOTA: há uma história que também corre por email que por vezes também uso para desbloquear a escrita e que alojei aqui. Um filme de animação recente também introduz umas alterações engraçadas na história do Capuchinho vermelho.

Recursos – espaço de alojamento web onde possam ser disponibilizados ou os recursos apontados ou um link para eles (pode ser o moodle) e onde possam ser depois divulgados os trabalhos de escrita criativa.

Conteúdos da língua portuguesa – compreensão oral; expressão escrita.

Competências digitais – literacia digital.

1 Comment



SetPageWidth